quarta-feira, 14 de setembro de 2011



No instante que passam as horas,
Caminho sobre o infinito.
Em baixo dos meus pés há poeira
 A me levar, a lavar minhas idéias.

No espaço de cada tempo piscando
A cada segundo seguindo direções
Difundidas totalmente por revelações
Atemporais de ilusões

Reveja as soluções dissolvidas pela
Apreensão de fatos, de moedas.
De tempos anteriores
De mapas misteriosos reinventados
No acidente das causas perdidas
Dentro dos casacos

Dos amores indefinidos que fizeram
A paz respirar por caminhos ainda por vir
E tentar ser vil...

Nenhum comentário: