sábado, 14 de maio de 2011

Sujos e Assujeitados






Vou pra cama com os poemas
Os sonhadores preferem vir à noite

Entre ao leste da sorte
Tente revelar o segredo da morte

Agente não precisa saber dos dentes

“O aristocrata e o vagabundo”

A porta entreaberta do mundo
A alegria desajeitada
Dos meus versos adormecidos


Que pena as gotas do sol chegaram
Num copo enegrecido de vinho tinto

Que pena não sujaram meu caderno

Vinhos e tinta...

Nenhum comentário: