segunda-feira, 16 de maio de 2011

Sopro



No fundo é como pancada

Que nada, é igual à chuva.

Fazendo lama, e trazendo o pecado.
Com outros olhos...

De modo a moldar juízos de tempos

A chuva molha a terra

De maneira divertida

E faz do mundo

Um pouco mais de tudo que sorri

Disperso com carinho

Vou como ondas

Não de chuvas

Mas sim de vento...

Nenhum comentário: