sexta-feira, 6 de maio de 2011




Mais na frete, na vida na rua.
Não era isso que poderia sumir

No pólo atravessado fica o marco
Exagerado de sabedoria assumindo
O espaço como curso itinerante

Posso me basear nas nuvens
Posso dizer sem medos, sem regras.
Sem regresso, mas acredito no progresso.

Se sentir o coração bater mais alto

       Pode acreditar é o mundo chamando...

Nenhum comentário: